fbpx

Os desafios das empresas de Life Science e como a ElevenUp pode ajudar.

Este mês completamos 1 ano que estamos lutando contra o Coronavírus, infelizmente estamos na pior parte da guerra até o momento e esperamos que possamos iniciar uma virada de jogo contra o vírus com a inserção das vacinas no combate. Muitas empresas sofreram e estão sofrendo com pandemia, porém este não é o caso das empresas da área de biotecnologia e de saúde que já estavam estabelecidas antes da pandemia.

Com uma necessidade crescente de insumo laboratoriais e médico hospitalares, diversos distribuidores destes produtos passaram por um problema inverso, a falta de produto para vender e de pessoal para atender todos as instituições que estão combatendo o vírus. Foi frequente o relato destas empresas sobre o atraso de remessas importadas e falta de insumos básicos, como luvas ou máscaras, além de descartáveis utilizados nos laboratórios de diagnóstico. Além disso, a falta de recursos humanos preparados para lidar com este mercado fez com que os salários subissem e como consequência o valor de produtos, até então com preços acessíveis passaram a ser extremamente relevantes na composição dos preços dos serviços de saúde.

Outro ponto foi o desafio das clínicas médicas que passaram a ter que adotar medidas de distanciamento social e melhorar o relacionamento com seus clientes/pacientes, com a utilização de uma agenda mais precisa para que não houvesse aglomeração nas salas de espera.

As soluções para todos estes desafios vem da tecnologia. Marketplaces como o Bioestoque, por exemplo, aproxima os distribuidores de insumos dos laboratórios e permite que o comprador final possa economizar tempo e dinheiro em uma plataforma onde diversas marcas e produtos podem ser comprados em um único carrinho. Para as clínicas, sistemas como o Quark Clinic permitem que os médicos ajustem suas agendas e ao mesmo tempo encontrem gargalos, deixando suas clínicas mais eficientes e lucrativas. Além disso, é possível em um único sistema implantar a telemedicina em quase todos os níveis de atendimento.

Por fim, todos os envolvidos no sistema de ciências de vida e cuidados com a saúde perceberam que a tecnologia é uma aliada fundamental para o desenvolvimento do relacionamento com seus clientes, desta forma, a geração de conteúdos e a utilização de ferramentas para o relacionamento digital cresceram de maneira explosiva. Porém, também se percebeu que não adianta gerar todo este conteúdo, sem conhecer seu público e sem uma estratégia que irá lhe ajudar a transformar um espectador em um cliente/paciente.

A construção destas estratégias devem ser realizadas por empresas idôneas e com recursos humanos capazes de traduzir a linguagem médico/científica em algo mais palatável ao seu público alvo, gerando assim um nova forma de comunicação e relacionamento que irá reorganizar todo o mercado e que estará mais presente do que nunca depois que tudo isso passar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

EnglishPortugueseSpanish